ORM / Barra Topo
Logo Parazão
Copa Verde: Re-Pa pode voltar a acontecer em uma competição nacional

Copa Verde pode ter Re-Pa na semifinal
        
O diagrama da Copa Verde estabelece que o vencedor de Paysandu x Princesa de Solimões/AM vai enfrentar o classificado de Paragominas x Santos/AP. E o vitorioso de Remo x Náutico/RR será adversário do vencedor de Nacional/AM x Plácido de Castro/AC. A terceira fase já será a semifinal, onde Leão e Papão poderão ter dois confrontos, se eliminarem os dois primeiros adversários.
        
A última vez que tivemos Re-Pa em competição da CBF foi na Série B de 2006. Nos últimos sete anos, Remo e Paysandu só se enfrentaram pelo campeonato estadual, no torneio de Paramaribo e nos amistosos. Foram 21 jogos, com oito vitórias do Leão, seis do Papão e sete empates. No Parazão 2014 teremos o mínimo de dois e o máximo de oito Re-Pas. Este ano o campeonato estadual teve meia dúzia de confrontos dos dois clubes mais populares da Amazônia. 
      

Passo à frente em condições de trabalho
        
Antes de investir em jogadores de maior cartaz, o Remo investe na melhoria das condições de trabalho: um novo gramado no Baenão, um transporte digno, campos de treinamento alugados para o elenco profissional e equipes de base (no Curuçambá). Dos itens fundamentais de infra-estrutura para o futebol, o Remo continua devendo uma academia de musculação própria. Esse foi o passo importante do Paysandu em 2013. Seus atletas não precisam mais sair da Curuzu para fazer musculação, atividade fundamental ao bom rendimento em campo e à prevenção de lesões, nem para tratamentos de fisioterapia, agora feitos no mesmo espaço físico, sob as arquibancadas.
        
Centro de Treinamentos e transporte próprio são projetos encaminhados no Papão. No entanto, em 2014 o time bicolor vai encarar mais uma temporada no velho gramado da Curuzu, sempre prejudicial à técnica, aliado dos jogadores de força e dos times retranqueiros. Os dirigentes e demais bicolores influentes precisam pensar nisso.
 

Importância da academia no clube
        
Em Belém ainda destacamos a importância de uma academia de musculação no estádio do clube. Nas grandes e médias estruturas, a academia é um item do Centro de Treinamentos. É o caso do vizinho Sampaio Corrêa, que vem fazendo as melhores campanhas da região no campeonato brasileiro. O clube maranhense tem um CT completo, que chama de 'hotel'. Nesse item, está muito acima de Leão e Papão.
        
O importante (muito importante!) é que o clube disponibilize academia e fisioterapia aos seus profissionais no local de trabalho, seja o estádio ou CT. Sem um serviço interno de musculação não há como os preparadores físicos atenderem necessidades individuais dentro da rotina de trabalho. Toda essa importância se multiplica para as categorias de base, cujas revelações chegam ao elenco profissional sem o lastro muscular necessário. Por isso, demoram a emplacar ou nem emplacam. Em geral, as revelações têm que passar por programa especial de fortalecimento muscular depois que sobem para o elenco principal.
        
Os clubes formam jogadores, mas não atletas. Não investem tanto quanto deveriam no desenvolvimento muscular e menos ainda na consciência profissional. Na verdade, pouco se importam com os aspectos sociais dos atletas de base.   


Para ler a coluna completa, assine O Liberal Digital!

Napoleão
Perfil

Carlos Ferreira
Comentarista

Carlos Ferreira é comentarista da TV Liberal (afiliada da Rede Globo em Belém) e do jornal O Liberal.