ORM / Barra Topo
Logo Parazão
Impasse pode travar venda de Yago Pikachu pelo Paysandu

Negociação: Paysandu só tem 70% de Pikachu
         
Recibos apresentados pelo investidor Luis Oliveira confirmam o pagamento de R$ 700 mil ao Paysandu, ano passado, pelos direitos econômicos de Yago Pikachu. Como não aprovaram a transação feita pelo ex-presidente Luis Omar Pinheiro, a atual diretoria e o atleta resolveram fazer outro contrato, até o final de 2015. Nessa negociação, além de um expressivo aumento de salário, Pikachu garantiu a posse de 30% dos direitos econômicos (antigo passe), enquanto o Papão ficou com 70%. Agora, com a possibilidade de venda, Paysandu e Pikachu terão que negociar também com o investidor que em 2012 comprou a totalidade e não levou. Somente um acordo entre as três partes, redividindo o bolo, pode viabilizar a venda do atleta de 21 anos, eleito melhor lateral direito da Série B. A tendência é que o Papão e o atleta cedam parte dos seus direitos para gerar a terceira fatia, do empresário Luis Oliveira.
        
O presidente bicolor Vandick Lima diz que as sondagens são frequentes, mas sem qualquer proposta oficial de clubes ou de empresários até agora por Pikachu. Todos recuam quando sabem do imbróglio na questão dos direitos econômicos. O contrato do atleta com o Papão estabelece multa rescisória de R$ 8 milhões para o mercado nacional e R$ 20 milhões para o exterior. A venda de Pikachu é a possibilidade que o Paysandu tem de organizar suas finanças e executar seus projetos de infra-estrura para o futebol.
 
                               
Alex Ruan x Rodrigo Fernandes
        
Alex Ruan, 20 anos, fruto da base remista, jogador que se destaca mais no trabalho ofensivo, e Rodrigo Fernandes, 27 anos, fruto do Atlético Mineiro, jogador que se destaca mais na função defensiva. Está aberta a primeira grande concorrência no Baenão, como o Remo pretende em todas as posições.
        
Por já vir jogando, sempre em destaque, Alex Ruan começa em vantagem. Rodrigo Fernandes vai ter que “ralar” para barrá-lo. Nessa concorrência que promete ser acirrada, ganham o Remo e os dois atletas, especialmente Alex Ruan, que precisava de uma sombra desse nível.  
 
                        
Ranking da base no Pará de 2002 a 2013
        
Dados dos últimos 12 anos revelam um ranking em que o Paysandu reina nas categorias de base no futebol paraense, a julgar pelos 20 títulos. No período, o Papão conquistou quatro campeonatos sub 13, seis sub 15, sete sub 17 e três sub 20. O Remo é o segundo colocado com 12 títulos: três sub 13, três sub 15, dois sub 17, quatro sub 20. Tuna e Castanhal estão empatados com quatro títulos. O clube cruzmaltino faturou um sub 13, dois sub 15 e um sub 20. O Japiim levou um sub 15, um sub 17 e dois sub 20. Com um título aparecem: Prainha (sub 13), Pinheirense (sub 17), Izabelense (sub 20) e a Desportiva (sub 20). A galeria do Remo se enriqueceu este ano com a conquista da Copa Norte sub 20, além do 8º lugar na recente Copa do Brasil, também sub 20.
       
Hoje, 15h30, no Mangueirão, mais um título da base em disputa. Remo e Paysandu vão decidir o campeonato sub 17, com o Papão jogando pelo empate. Ingresso a 10 reais. Os principais destaques dos dois times são: Caio (ala do Paysandu), artilheiro do campeonato com 10 gols, e Emerson Tsunami (zagueiro do Remo).


Para ler a coluna completa, assine O Liberal Digital!

Napoleão
Perfil

Carlos Ferreira
Comentarista

Carlos Ferreira é comentarista da TV Liberal (afiliada da Rede Globo em Belém) e do jornal O Liberal.