ORM / Barra Topo
Logo Parazão
Briga entre torcidas em Joinville (PR) pode resultar em 15 jogos de suspensão ao Paysandu

Batalha de Joinville pode prejudicar o Papão

Os advogados do Paysandu trabalham no recurso do Pleno do STJD para reduzir a pena de seis mandos de campo perdidos para a Série C de 2014. A estratégia é desqualificar o artigo em que o clube foi enquadrado, o mesmo do Atlético Paranaense, mandante do jogo que virou batalha campal, em Joinville. O novo julgamento do Papão nem está marcado. Mas a repercussão do fato do último domingo e as cobranças ao STJD por uma punição enérgica ao Atlético-PR (perda de até 10 mandos de campo e multa de até R$ 100 mil), podem produzir uma postura igualmente rigorosa contra o clube paraense. 

A baderna bicolor no jogo contra o Avaí teve proporções muito menores, mas impediu a conclusão do jogo. Já a selvageria de atleticanos e vascaínos em Joinville teve a complacência da arbitragem (ou pressões!) para a continuidade, e o jogo foi concluído. Se for mesmo possível desqualificar o artigo no Pleno, com certeza seria a saída para o Paysandu conseguir a redução da pena aplicada em primeira instância. Caso contrário, por causa do ímpeto de meia dúzia de vândalos, o Papão terá vida difícil na Série C, tendo que fazer 15 jogos longe da torcida e apenas os três últimos em Belém.  

O Pará no ranking das mortes

Segundo o sociólogo Maurício Murad, o Brasil é líder mundial em mortes de torcedores. 234 nos últimos 25 anos. E o Pará contribuiu com 6%. Até a década passada, a liderança do vergonhoso ranking mundial era dividida por Itália e Argentina, mas nos últimos 10 anos o Brasil saltou para o primeiro lugar. As pesquisas revelam que a maioria das vítimas fatais brasileiras é da faixa dos 16 aos 28 anos, e que 70% dos assassinatos foram a tiro. Os outros 30% com faca, bomba, pancadas e atropelamento. 

Este ano foram três mortes de torcedores nas ruas de Belém. Um no Paar, horas antes do primeiro Re-Pa, e os outros dois junto ao estádio do Paysandu. Os dois últimos em 'acerto de contas'. Só o primeiro, no Paar, foi especificamente causado por violência iniciada no estádio, no primeiro Re-Pa, quando o Juizado do Torcedor ainda não atuava nos estádios. A partir do segundo clássico Remo x Paysandu, o Judiciário se fez presente com o Juizado do Torcedor e apenou 52 torcedores, que fizeram transação disciplinar, dos quais 17 não cumpriram e estão respondendo a processo. A chegada do Judiciário aos eventos do futebol é produto da sensibilidade da presidente do TJ-PA, desembargadora Luzia Nadja, diante dos acontecimentos que apavoram a sociedade.  

Artilheiro do ano: Danilo Galvão superou Aleílson

Depois de 11 campeonatos consecutivos na elite paraense, o Águia estará fora em 2014. Mesmo com o rebaixamento regional, o Águia fez o maior artilheiro de 2013 no futebol do Pará. Com os três gols que marcou contra o Time Negra, sábado (7), Danilo Galvão totalizou 21 gols, um a mais que Aleílson, autor 19 gols pelo Paragominas e um pelo Paysandu. Danilo Galvão fez sete gols do Parazão (só disputou o 2º turno), um na Copa do Brasil, nove na Série C e quatro no recente Seletivo. Por essa performance, o atacante marabaense (22 anos) entrou nos planos do Remo para 2014 e já foi lembrado também no Paysandu.  

Napoleão
Perfil

Carlos Ferreira
Comentarista

Carlos Ferreira é comentarista da TV Liberal (afiliada da Rede Globo em Belém) e do jornal O Liberal.