ORM / Barra Topo
Logo Parazão
Paulo Romano pede licença da FPF por 60 dias e diz: 'Talvez eu não volte'

Diretor está na Federação desde 1998

As ações impetradas pelo Santa Cruz de Cuiarana que paralisaram o Campeonato Paraense de Futebol por duas semanas ganhou mais um capítulo. O diretor técnico da  Federação Paraense de Futebol, Paulo Romano, vai se afastar do cargo de diretor técnico na FPF por 60 dias após o término da competição.

Paulo Romano se mostrou contrariado com as acusações de se beneficiar da federação para favorecer a sua empresa na venda de passagens aéreas, além de 'ajudar' o clube no desenvolvimento das tabelas do Parazão e disse que vai usar o tempo para refletir.

'Quando terminar o Parazão, entrarei em recesso, pedirei uma licença de 60 dias. Vou pensar sobre tudo que vem ocorrendo nos últimos meses e talvez eu não volte a trabalhar na FPF', disse o diretor, que completou: 'Esse ultimo mês foi bastante desgastante. Foram acusações levianas, que me deixaram bastante chateado. Durante este período irei refletir e pensar bastante, já que tenho família e estão me acusando de coisas que não fiz', falou.

Perguntado sobre a FPF, Paulo Romano disse que, apesar de gostar do que faz, as acusações estão atingindo sua vida pessoal. 'Gosto do que faço e venho exercendo minha função de forma correta, mas a situação está atingindo o lado pessoal. Estou na federação desde 1998 e infelizmente quem padece são meus familiares. Vou botar a cabeça no lugar e pensar se ainda volto, mas confesso que está muito difícil', concluiu.

Texto: Fábio Canelas, estagiário, sob a supervisão de Carlos Fellip (Portal ORM)

Foto: Marcelo Seabra